13/06/2018 Undime

Todas as notícias Categorias

Representantes de 13 estados do Brasil debateram implantação da BNCC

Representantes das seccionais da Undime estiveram presentes, na última terça-feira (12), na abertura do II Encontro Formativo do Programa de Apoio à Implementação da Base Nacional Comum Curricular (BNCC). Realizado em Brasília, o evento reuniu, até o fim da quarta-feira, integrantes do Consed e da Undime de treze estados da Federação responsáveis pelo processo de implementação da BNCC nos estados e municípios.

Além de apresentações de trabalhos e experiências de processos participativos de construção de currículos em estados e municípios, a atividade trouxe nova luz ao debate sobre a importância do regime de colaboração para consolidação da BNCC para a educação básica.  

O Dirigente Municipal de Educação de Goiânia/ GO e presidente da Região Centro-Oeste da Undime, Marcelo Ferreira da Costa, pontuou o protagonismo da Undime nesta discussão, em consonância com as demais entidades que atuam na área da educação.  “Temos, hoje, no Brasil, a oportunidade de usar a BNCC como indutora do regime de colaboração, e também como agente da construção de políticas públicas integradas e reais, capazes de reverberar mudanças na base da educação, para refletir o que é realmente importante para os professores”, afirmou.

Com os currículos estaduais em avançada fase de elaboração, o professor Marcelo destaca que o maior desafio, de agora em diante, será demonstrar o que é prático e operativo em salas de aula, por meio da avaliação das formulações já desenvolvidas. “A partir de agora teremos a possibilidade de traduzir as habilidades contidas na BNCC em ações executáveis”. O maior benefício, de acordo com o representante da Undime, é que isso permitirá não apenas uma melhor avaliação das políticas públicas, mas também da eficácia das propostas feitas para a área.

Além da Undime, a mesa de abertura também reuniu porta-vozes do Ministério da Educação (MEC), Conselho Nacional de Secretários da Educação (Consed), Fórum Nacional de Educação (FNE), Fórum Nacional dos Conselhos Estaduais de Educação (FNCEE) e União Nacional dos Conselhos Municipais de Educação (Uncme).

Na sequência da atividade, uma roda de conversa com representantes do MEC e coordenadores estaduais tratou da transição entre as etapas da educação básica e fundamental. Em suas falas, as professoras reforçaram a necessidade de traçar o acompanhamento de alunos para que o currículo seja baseado em suas habilidades e a educação seja encarada como um ato contínuo, sem fragmentações nos pressupostos metodológicos, considerando os aspectos de cada fase educacional.

A representante da Undime/ SP, professora Maridalva Bertacini, defendeu que a base curricular definida para o ensino fundamental tenha como retaguarda as experiências proporcionadas na educação infantil. “Sem a educação infantil não se faz educação básica e a educação básica não é única. Estas devem ser as premissas para definir o currículo para o ensino fundamental”, assinalou. 

A próxima edição do Encontro Formativo está prevista para meados de julho, desta vez com a participação de representantes dos demais 14 entes da Federação.

Fonte/ Fotos: Undime

Todas as notícias Todas as categorias